sábado, 12 de junho de 2021

5 Motivos pelos quais as pessoas desistem do Low Poo | O Low Poo está morrendo?

Compartilhe:
Low Poo e No Poo - Po que as pessoas desistem - Descubra o Limpoo - o primeiro curso online do Brasil sobre as técnicas Low Poo e No Poo

Low Poo faz mal? 5 Motivos pelos quais as pessoas desistem de fazer Low Poo e No Poo




Nos últimos meses, temos observado uma tendência, tanto em vídeos no Youtube, quanto em espaços de interação entre praticantes de Low Poo e No Poo.

O que antes era pouco comum, começou a chamar a nossa atenção: pessoas desistindo das técnicas Low Poo e No Poo.

Produtoras de conteúdo, de todos os tamanhos, já fizeram vídeos explicando por que não fazem mais as técnicas.

Destes materiais, o que causou mais impacto, recentemente, é o da brilhosa Carol Kyoko, mas, antes dela, outras criadoras já haviam feito vídeos nesse sentido, incluindo: Thayna Karolayne, Bruna Caixeiro, Monalisa Nunes e Luci Gonçalves.

Somando estes vídeos aos relatos que encontramos em outros lugares, resolvemos escrever esse post com experiências negativas com estas técnicas.

Será que Low Poo e No Poo são um barco furado? Será que o Low Poo foi um "febre" e agora vai passar?

Hoje, vamos discutir alguns pontos importantes a respeito de Low Poo e No Poo, listando alguns dos motivos pelos quais as pessoas desistem das técnicas e por que achamos que o Low Poo está morrendo.



1) Desisti do Low Poo porque meu cabelo estava estranho, sem brilho, sem day after...


Um dos pontos comuns para desistir das técnicas Low Poo e No Poo está em algumas mudanças que os fios parecem sofrer depois de um período usando liberados.

Alguns relatos de desistência falam de uma sensação estranha nos fios, uma aparência sem forma, opaca e áspera.

Esse efeito tem nome e sobrenome, chama-se build up (mas costumamos chamá-lo, em português, de acumulo de resíduos no cabelo).

Agentes condicionantes e formadores de filme podem se acumular em excesso nos fios, inclusive de quem não faz Low Poo e No Poo, por isso é bom ficar atento aos sinais desse problema.

Uma rotina de cuidados personalizada e equilibrada deve contemplar momentos de limpeza-extra, para se livrar de qualquer excesso de produtos que se prendem aos fios.

É 100% possível manter uma rotina livre de sulfatos sem sofrer com build up, incluindo produtos com detergentes mais eficazes e limpezas profundas eventuais, quando houver necessidade.


2) Tinha vontade de usar um proibido e me sentia culpada, neurótica e refém dos liberados


Fazer Low Poo e No Poo não pode virar uma fonte de sofrimento.

Estas rotinas entram na vida da gente para diminuir o ressecamento que shampoos tradicionais podem causar.

É importante que nossa atitude diante de qualquer técnica seja essa: de que elas são ferramentas ao nosso dispor e não regras inquebráveis às quais estamos amarradas para sempre.

Quando começamos a desenhar o Limpoo, nosso curso sobre Low Poo e No Poo com a Liga das Crespas e Cacheadas, decidimos que nossa abordagem seria justamente o oposto da tradicional.

Ao invés de martelar regras e proibições, focaríamos na desconstrução de diversos mitos e reforço da ideia de que as técnicas são ferramentas a serem adaptadas às necessidades individuais de cada aluna.

Assim, a relação com No Poo e Low Poo fica muito mais leve, sem olhar para os ingredientes proibidos como inimigos mortais, entendendo que para tudo existe lugar e tempo.

Link Afiliado LCCLP3:

3) Tentei fazer Low Poo, mas meu cabelo ama silicone! Por isso desisti...


Muitas pessoas, em especial quem tem cabelos descoloridos, se dão muito bem com silicones.

Estas substâncias são proibidas no Curly Girl Method e na técnica No Poo - mas não são proibidos para quem faz Low Poo.

Muitas pessoas confundem o Curly Girl Method com o Low Poo, e acham que silicones e parabenos são proibidos para a técnica, mas não são.

Quem usa shampoo, mesmo que seja liberado, pode usar silicones sem problemas e, em muitos casos, é até importante que use - para proteger os fios e diminuir a porosidade excessiva, por exemplo.

É a técnica que deve ser adequada aos seus cabelos e não o contrário.

Você está preocupada em limpar 100% dos silicones e outros agentes condicionantes entre uma lavagem de cabelo e outra? Por quê? Vem saber a verdade que nunca te contaram sobre limpeza do cabelo.

4) Não quero usar só produtos baratinhos, e as linhas liberadas não são profissionais, por isso não faço mais Low Poo


É difícil quando dependemos da indicação da marca para saber se um produto é liberado ou não.

Na verdade, aqui no Cabeleira em Pé, a gente desestimula ao máximo que você se oriente por essas inscrições de rótulos, já que elas nem sempre estão corretas.

O ideal é que você aprenda a ler as composições e, com isso, ganhe autonomia para descobrir produtos liberados de todos os tipos: nacionais, importados, baratinhos, profissionais ou de luxo.

Existem liberados (e "proibidos") em todos nichos de mercado, é só saber ler as composições para identificar.

O mesmo vale para uma fala bastante comum de que existem poucos produtos liberados para quem faz No Poo. No levantamento de lançamentos de 2020 (veja bem, no período de apenas um ano), descobrimos mais de 150 produtos liberados para No Poo - é alternativa para caramba, não é?



5) Quando comecei o Low Poo, virei a doida dos cremes... saí comprando tudo que indicavam e não quero ser consumista, então resolvi abandonar as técnicas


Lembra que a gente falou do curso Limpoo, antes? Vou usar outro exemplo da nossa abordagem que cabe direitinho nesse contexto de consumo.

Uma das primeiras dicas que a gente dá é para que nossas alunas não comprem nada.

Isso porque é preciso entender as ferramentas antes de usá-las na prática.

Depois de ganhar um pouco de autonomia, a primeira prateleira que a gente consulta não é a da perfumaria, nem da farmácia e nem a do supermercado.

A primeira prateleira que a gente procura liberados é a prateleira de casa. Podemos garantir para você que sempre se encontram liberados entre os produtos que você já tem em casa, é só saber identificar.

Link Afiliado LCCMITOS:

O Low Poo está morrendo, mesmo! - Entenda por que isso é bom




O Low Poo e o No Poo ganharam muito espaço nos últimos anos e, aos poucos, os conhecimentos adquiridos por quem estuda e pratica estas técnicas podem se transformar em algo diferente.

A forma obsessiva e hiper-regrada de fazer estas técnicas pode estar morrendo - e isso não é, necessariamente, ruim.

Quando se entra nestas técnicas através de uma abordagem mais clássica, tudo se resume a "isso pode" e "isso não pode"; liberados e proibidos; faz bem para o cabelo ou faz mal para o cabelos; é tratamento ou é "maquiagem"; etc.

Mas, quando a pessoa se aprofunda e começa a entender os motivos por trás dos "liberados" e "proibidos", a lógica do Low Poo pode ser aplicada a uma rotina personalizada de cuidados, que não vilaniza nenhum ingrediente e entende que apesar de serem chamados de "proibidos" - eles podem ser, eventualmente, usados da forma correta.

Você pode entrar hoje na técnica Low Poo (ou No Poo) seguindo um método tradicional, aprendendo um montão de regras em posts, tabelas e vídeos na internet e depois ir desaprendendo algumas dessas imposições para que sua rotina faça sentido no seu dia-a-dia.

Mas, você pode chegar no resultado final de uma forma muito mais rápida: aprendendo, desde o início, com um olhar crítico.

Com a ajuda da Diana da Liga das Crespas e Cacheadas, desenhamos um curso chamado Limpoo, onde você aprende, desde a primeira aula, os porquês das "regrinhas" e como fazer para quebrá-las (eventualmente) sem peso na consciência e com o mínimo de dano.

O curso tem aulas ao vivo, ministradas pela Diana, fruto de horas e mais horas de trabalho com a equipe Cabeleira em Pé, para uma abordagem mais leve, inteligente e sem neuras das rotinas Low Poo e No Poo.

  • No Limpoo você entende, desde o começo, que a limpeza é um fator importantíssimo da sua rotina, com dicas importantes sobre como evitar e tratar o build up;
  • Você também encontra um espaço que estimula a visão crítica e sem culpa de "liberados" e "proibidos";
  • O conhecimento dos ingredientes oferece autonomia para identificar produtos liberados que você já tem;
  • Essas mesmas lições te ajudam a identificar linhas profissionais ou opções de farmácia e supermercado baratinhas, dando ferramentas para você encontrar as alternativas Low Poo e No Poo ideais para o seu cabelo e/ou o seu bolso;

Se você está em busca de uma forma de cuidar dos cabelos que contemple todas essas características e ainda te ajude a diminuir o ressecamento e acelerar os resultados da sua rotina de cuidados capilares: o Limpoo é a solução.

Não danificar também é tratar! Venha entender como colocar essa lógica em prática com o Cabelê e a Liga no Limpoo, o primeiro curso online do Brasil sobre as técnicas de Low Poo e No Poo.

Link Afiliado LCCLP2: