sábado, 1 de dezembro de 2018

Shampoo Micelar é bom? Por essa resposta você não esperava!

Compartilhe:
Shampoo Micelar é bom - Descubra mais sobre os shampoos micelares

Shampoo Micelar é bom?: A febre do termo 'Micelar'




A pesquisa no campo cosmético é algo fantástico.

A cada ano, surgem novas tecnologias que possibilitam a criação de novos produtos, produtos que nem sabíamos que existiam tornam-se indispensáveis no nosso dia-a-dia.

A água micelar foi uma dessas descobertas para uma série de pessoas nos últimos anos.

Suave, eficaz e dispensando o enxágue, a água micelar oferece para a pele uma forma nova de higienização, em especial para quem tem pressa ou busca alternativas mais suaves de limpeza

Limpeza facial mais suave? Clique aqui e confira uma lista com mais de dez águas micelares por menos de R$30.

Foi a partir da popularização desta classe de higienizadores faciais, que a indústria de cosméticos descobriu que o termo micelar vende.

Não demorou muito tempo para surgirem condicionador e shampoo micelar.

Em letras garrafais muitas marcas fazem propaganda de seus mais novos produtos com esta tecnologia, e começam os questionamentos nas redes sociais do Cabeleira em Pé: shampoo micelar é bom?

A resposta é bem diferente do que você esperava ouvir.

Não deixe de interagir conosco na sua rede social favorita: 

Shampoo Micelar? O que são Micelas?




Micelar vem do termo micela, um conceito químico que explica como surfactantes se comportam em situações em que água e substâncias oleosas coexistem.

Surfactantes são como soldadinhos sem braços e pernas. Sua forma pode lembrar um pouco um girino, pronto, vamos chamá-los de soldadinhos-girinos.

As cabeças deles são atraídas por água e as caudas são atraídas por gordura.

Essa bipolaridade dos 'girinos' é especialmente importante em dois processos: na hora de criar cremes que mantêm água e óleo na mesma fase e em produtos de limpeza.

Nesta primeira tarefa (manter água e óleo misturados), os surfactantes-soldados-girinos se organizam de forma a diminuir a tensão entre a água e óleo, envolvendo pequenas porções oleosas e solubilizando elas na água.


Essa forma como os surfactantes se organizam em torno da gordura é chamado micela - é daí que vem o termo micelar: aquilo que forma micela.

É por causa das micelas que seu condicionador, apesar de ter água e óleo de coco, se mantém em uma fase só, graças aos surfactantes catiônicos da fórmula (uma das espécies de 'girinos' que existem).

Na segunda tarefa, a de limpeza, os surfactantes ajudam a retirar gorduras presas à nossa pele e couro cabeludo, prendendo-as ao algodão (como no caso da água micelar e de alguns tônicos) ou criando micelas em torno da sujeira, facilitando o enxágue e consequentemente deixando região mais limpa como no caso dos shampoos, sabonetes e co washes.

Entenderam onde queremos chegar? Se micelar é aquilo que forma micelas, e os surfactantes mais comuns de shampoos e condicionadores são capazes de formar micelas: todo o shampoo é shampoo micelar.


Está gostando deste texto? Curta nossa página no Facebook e não perca nenhuma atualização do Cabeleira em Pé:



Por que é difícil dizer ser um shampoo micelar é bom ou não?




Praticamente todo o shampoo é micelar. Não só o shampoo, os demais produtos de limpeza como o sabão, sabonete, detergente e o sabão em pó também contém substâncias micelares.

Perguntar se um shampoo micelar é bom é praticamente perguntar "shampoo é bom?".

A expressão Shampoo Micelar parece até um pouco redundante - como subir para cima - já que desconhecemos a existência de shampoos sem surfactantes (as substâncias capazes de formar micelas que chamamos de girinos mais acima).

Por esse motivo é praticamente impossível responder se shampoo micelar é bom, já que agora nós sabemos que todos os shampoos tradicionais são micelares e dentre eles existem shampoos "bons" e shampoos "ruins".

Lembre sempre que termos usados no marketing de um produto nem sempre apresentam seus pontos mais interessantes. Fique de olho nas composições, a verdadeira magia do cosmético não está no que a sua embalagem diz, mas na tecnologia e ingredientes usados na sua fórmula.