terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Mini Cabeleira: Livros Infantis com protagonistas crespas e cacheadas

Compartilhe:
Aproveite esses livros para dividir com as crianças a importância da diversidade na literatura infantil.

Livros infantis, representatividade, cabelos crespos, cacheados e empoderamento


A infância, como ideia de uma época especial para cada ser humano, surge no mesmo tempo das grandes descobertas. Já não se morria tão facilmente e começava a valer a pena o investimento nesses seres tão frágeis. Para as crianças, inventa-se a infância quando decide-se deixá-las brincar, ir à escola, ser criança. - Voice Over do Documentário "A invenção da infância".

Pensando na diversificação das obras literárias das prateleiras (dos quartos, creches e escolas) infantis, resolvemos pesquisar um pouco sobre livros infantis e protagonistas de cabelos cacheados e crespos.

Começamos, aos poucos, a montar uma lista de livros que falam em especial da relação entre nossas personagens e seus cabelos.

Chegamos então a um número interessante de obras, que começaremos a publicar na postagem de hoje.

Antes de começarmos gostaríamos de adiantar que não se trata de um estudo aprofundado ou definitivo sobre literatura infantil e diversidade.

Trata-se apenas um exercício de compilação de materiais que visa auxiliar o desenvolvimento de atividades infantis que contemplem a diversidade de texturas capilares das crianças que estão em torno das pessoas que acompanham o nosso blog, o Cabeleira em Pé.

Confira uma lista de Filmes e seriados infantis com protagonistas de cabelos crespos ou cacheados.

Panorama dos representantes negros no mundo infantil 


Antes de falar da falta de representantes negros nos livros infantis, precisamos admitir o quanto o mercado literário já evoluiu, se levarmos em consideração obras das primeiras décadas do século XX, marco da "inclusão" de personagens negros na literatura infantil brasileira.

Nas décadas de 20 e 30 os personagens de pele escura não eram inseridos no cenário contemporâneo da época, mas sempre como figuras cuja cultura remetia ao passado. As situações nas quais os personagens negros eram inseridos tinham quase sempre o objetivo de desqualificar tanto as estéticas quanto as culturas negras.¹

A inserção de livros infantis com todos os tipos de protagonistas é necessária na educação infantil. Estudos que sugerem que a inexistência (ou presença-invisível) de objetos lúdicos - brinquedos, livros, filmes... - que representem crianças de cabelos cacheados e crespos, podem dificultar a construção da auto-imagem das crianças que compartilham essas mesmas características.²

Talvez esse tenha sido o vetor que impulsionou a Lei 10.639/2003, que incluiu a história e cultura afro-brasileira nos currículos escolares do país. Essa exigência fomentou o mercado editorial provocando a produção de mais materiais que contemplam temas ligados a este tema.³

Representatividade é tema importante desde a infância, no Mini Cabeleira Já falamos de Moana, a nova princesa cacheada da Disney.

Leia antes de comprar e evite estereótipos raciais em livros infantis


Os livros com temáticas mais diversas em termos raciais podem estar sendo produzido em maior quantidade, mas não necessariamente com ótima qualidade.

O mercado apenas preencheu uma lacuna aberta pela Lei 10.639/2003. A seleção do melhor material para os seus mini-cabeleiras ainda precisa ser feita por você, que sabe o que vai interessá-los mais.

Pedimos atenção redobrada aos conteúdos de obras mais antigas pois segundo pequisa de Araújo e Silva 4 “quanto mais antiga a obra que apresenta personagens negras, mais chances ela tem de trazer estereótipos negativos e racismo implícito ou explícito”.

Por isso fique de olho e tente descobrir o conteúdo do livro antes de comprá-lo, assim você evita uma situação cavalo-de-tróia.


Está gostando deste texto? Curta nossa página no Facebook e não perca nenhuma atualização do Cabeleira em Pé:



Sugestões de livros que falam de cabelos cacheados


O Cabelo de Lelê - Valéria Belém


Publicado em 2007 e ilustrado por Adriana Mendonça o livro se desenvolve a partir das perguntas que Lelê faz a si mesma a respeito do seu cabelo. Lelê descobre em um livro de onde vêm seus antepassados e de onde herdou seus cachinhos, passando a amá-los.

Lele descobre as raízes do seu cabelo e a história por trás deles


O cabelo da Menina - Fernanda Takai


A inspiração para a mini-cabeleira do livro veio de Nina, a filha da autora. Foi a ilustradora Ina Carolina quem deu à menina seus cabelos bagunçados. A menina do livro acorda uma manhã e decide ir à escola sem se pentear. O livro foi escrito para redes sociais e pode ser acessado no Instagram: http://www.instagram.com/ocabelodamenina.

A menina resolve ir para a escola com o cabelo bagunçado, veja o desenrolar de eventos

Nosso perfil no Instagram está cheio de dicas imperdíveis. Segue a gente! Instagram do Cabeleira em Pé: Clique Aqui!

Cabelo Ruim? - Neusa Batista Pinto


Com ilustrações de Nara Silver, o livro faz parte de um projeto da autora chamado "Pixaim: Nem bom, nem ruim - Apenas diferente" que promove a valorização dos fios do tipo 4. A história gira em torno de três garotas descobrindo como se relacionar com seus cabelos naturais. No encontro com o outro, descobrem a si mesmas desenvolvendo assim a ousadia de ser diferente.

3 colegas descobrem que seus cabelos são bonitos naturalmente

Chico Juba - Gustavo Gaivota


Este tem uma peculiaridade que torna esse livro especial. Seu protagonista é menino cacheado (e as mamães de meninos de cabelos emolados sabem que não é fácil encontrar histórias para eles). Chico Juba foi desenhado por Rubem Filho e sua história fala muito de cabelos pois Chico é um pequeno cientista que vive fazendo experimentos para mudar suas madeixas. Essa criatividade toda vai levar o menino a novas descobertas.

Chico juba é um pequeno cientista em busca de produtos para mudar seu cabelo


Menina bonita do laço de fita - Ana Maria Machado


Um clássico da literatura infantil brasileira e um dos mais famosos desta celebrada autora, "Menina Bonita do laço de fita" conta um diálogo entre um Coelho e a menina por quem ele se encanta. Um livro escrito na década de 80 e que sobrevive até hoje em muitos corações e na maioria das bibliotecas infantis. O livro conta com ilustrações de Claudius.

Confira de pertinho essa história de um coelho que ama a cor dessa menina

#representatividadeimportasim, por isso temos espaço para inspiração de penteados e cortes de cabelos crespos, cacheados e ondulados na nossa coluna Transi(inpira)ção. Confira as edições de 2016:


Diversificar o mundo infantil é papel de gente grande


Crianças ouvidas em um estudo5 conduzido em 2012 conseguem identificar a falta de representatividade de histórias com personagens negras.

Algumas destas crianças atribuem essa ausência aos adultos envolvidos nos processos de criação e publicação de livros infantis.

É desta forma que as escolhas feitas pelos adultos impactam a formação das crianças.

Opte por impactar a vida de uma mini-cabeleira de maneira positiva. Seja um agente de mudança, seja um adulto diferente: apresente uma personagem negra às crianças à sua volta.

7 livros com histórias infantis para abordar a diversidade. Clique e descubra este presente para as crianças.

Se você conhece outras histórias infantis e infanto-juvenis com enredos parecidos com esse, use o espaço dos comentários para falar deles.

Desse jeito vamos montando uma lista com as sugestões para uma próxima edição.

Assim podemos construir, aos poucos, uma lista dos melhores livros infantis para que todas as texturas capilares sejam contempladas nas estantes dos quartos, salas de aula e bibliotecas ao nosso alcance.

Contribua: você pode fazer isso sugerindo outros títulos nos comentários abaixo ou você pode ajudar compartilhando esse Post. Para fazer isso use os botões na lateral esquerda (se você está no computador) ou na parte de baixo da sua tela (se você está no celular ou tablet).

Compartilhe e ajude a espalhar esses cachinhos na timeline da sua rede social favorita!

Aproveite também para seguir a gente, desse jeito você não perde o melhor do nosso conteúdo: 

__________

Referências:

¹ Gouvêa, Maria Cristina Soares de. (2005). Imagens do negro na literatura infantil brasileira: análise historiográfica. Educação e Pesquisa, 31(1).
² da Silva, Marcella Padilha Dantas; Branco, Angela Uchoa. (2011). Negritude e infância: relações étnico-raciais em situação lúdica estruturada. Psico 42 (2).
³ Araujo, Debor Cristina de. (2015). Literatura Infanto-juvenil e Política Educacional: Estratégias de Racialização no Programa Nacional de Biblioteca da Escola (PNBE). Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Araujo, Débora Oyayomi Cristina de; Silva, Paulo Vinicius Baptista da. (2012). Diversidade étnico-racial e a produção literária infantil: análise de resultados. In: BENTO, Maria Aparecida Silva (Org.). Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CEERT.
5Lopes, Naiane Rufino. (2012). Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) 2010: personagens negros como protagonistas e a construção da identidade étnico-racial. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP) – Campus Marília.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...